Congresso internacional discute terapia celular em obstetrícia e neurologia


 

As experiências mundiais da terapia celular na obstetrícia e neurologia serão debatidas pela classe médica a partir desta segunda-feira (01), no Instituto da Rede D’Or, em Botafogo, na Zona Sul do  Rio, e na terça-feira (02), no Centro de Estudos São Luiz Itaim, em São Paulo. A Cryopraxis®*, em parceria com a Rede D´Or São Luiz, organiza o evento internacional, que vai receber os especialistas norte-americanos Dr. Paul Sanberg, consultor da Cryopraxis®, vice-reitor da Universidade do Sul da Flórida e referência mundial em estudos com terapia celular, e o Dr. Evan Snyder, chefe do laboratório de terapia celular do Sanford-Burnham Medical Research Institute.
Os pesquisadores participarão das palestras com o tema Células-tronco na Asfixia Perinatal, mudando prognóstico. “A anóxia perinatal é uma das principais causas de óbito de recém-nascidos em todo o mundo e é responsável por sequelas graves e muitas vezes irreversíveis. Segundo dados do Ministério da Saúde em 2011, cerca de 2% dos nascimentos no Brasil apresentam algum grau de asfixia”, explica o obstetra e diretor médico da Cryopraxis®, Dr. Alberto d´Auria.
Anóxia neonatal é a ausência ou diminuição da oxigenação no cérebro que o bebê tem durante o parto. Apontada como uma das principais causas de óbito neonatal em todo o mundo, a anóxia é um grave problema que pode acometer o recém-nascido, causando lesões em múltiplos órgãos.
Segundo ainda a última pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde em 2011, apesar da taxa de mortalidade infantil ter diminuído nos últimos anos no Brasil (17 óbitos para cada 1000 nascidos vivos), o componente neonatal (0 a 28 dias de vida) desta taxa tem se mantido estável, respondendo por 65% do total. Neste contexto, a asfixia perinatal é a terceira maior causa de óbitos entre recém-nascidos.

Hipotermia
A hipotermia, diminuição da temperatura, tem sido utilizada atualmente como procedimento padrão para o tratamento da asfixia perinatal, porém o número de óbitos dos recém-nascidos ainda é grande, e nos sobreviventes a ocorrência de sequelas incapacitantes diminuem muito a qualidade de vida.
"A terapia celular é proposta como uma alternativa para o tratamento destas lesões e de outras doenças neurodegenerativas. Estudos experimentais, grande parte deles desenvolvidos pelos pesquisadores convidados, demonstram a potencialidade destas células. As pesquisas clínicas, por sua vez, já comprovaram a segurança e dão indícios de eficácia do tratamento com o uso das células do sangue de cordão das próprias crianças. Apesar dos avanços observados, há ainda um longo caminho a percorrer até que esta seja uma prática corrente na medicina”, esclarece a coordenadora de pesquisas da Cryopraxis®, Dra. Maria Helena Nicola.
A Cryopraxis®, em parceria com o Hospital Universitário Antonio Pedro, da Universidade Federal Fluminense, está em fase de aprovação de um protocolo de pesquisa clínica para a avaliação da segurança e eficácia do procedimento de terapia celular descrito acima, contribuído assim de forma efetiva para os avanços da medicina regenerativa no Brasil.
*A Cryopraxis® é o maior banco brasileiro de coleta e armazenamento de células-tronco do sangue de cordão umbilical e possui mais de 30 mil unidades que são conservadas em tanques de nitrogênio líquido que controlam a temperatura a -196°C . Criada em 2001, a empresa se tornou líder e referência no país na área de Terapia Celular. Mais informações.

Fonte: Jornal do Brasil.